Usando o arquivo de Swap no Linux

Autor: Marcos Carvalho ter, 27 fev 2018
Usando memória SWAP no Linux
Como criar o arquivo e utilizar como Swap no Linux para sua VPS parar de travar

Hoje aprenderemos a criar e habilitar a memória Swap no Linux. Quando instalamos um Linux em uma Estação ou mesmo um Servidor, o próprio instalador (por padrão) já cria uma Memória Swap, mas principalmente em VPS esta memória nunca vem criada.

Memória Swap é utilizada quando sua Memória RAM se esgota. Como falei aqui sobre uma VPS que é um tipo de hospedagem muito utilizada, vamos focar o exemplo nela.

Mais especificamente em uma VPS rodando WordPress, que vai carregar basicamente o Servidor WEB e o Servidor de Banco de Dados.

Agora, supondo que voê consiga muitas visitas, a memória RAM vai se esgotando e então sua VPS trava, a não ser que você esteja com uma memória Swap para ela começar a trabalhar juntamente com a memória RAM.

Então, sem mais delongas vamos lá:

Verificando se você tem memória Swap

No terminal digite:

free -h

E o resultado:

                      total      used      free    shared    buffers   cached
Mem:                   1.0G      861M      138M       64M        54M     470M
-/+ buffers/cache:     337M      663M
Swap:                    0B        0B        0B

Então, desta forma você não tem o Swap ativado

Outra coisa para esta verificação é você usar o swapon para verificar.

swapon -s

Se não tiver nenhum resultado, não terá mesmo, então vamos criar o arquivo

Criando o arquivo de Swap

Eu já logo como root para mexer no sistema, eu prefiro. Caso não seja root, você precisará executar praticamente todos os comandos abaixo com o sudo na frente deles para ter permissão.

Primeiro, para você entender, criaremos o arquivo arquivoswap na raiz.

dd if=/dev/zero of=/arquivoswap count=2048 bs=1M

Este comando cria o arquivo no diretório raiz, o preenche de (vamos assim dizer: Zeros), com um tamanho de 2048 e este preenchimento é de 1 MB por vez, ou seja, ele vai executar este bloco 2048 vezes.

LEIA  Pesquisar palavras dentro de um diretório inteiro

O “1M” é uma opção meio que padrão, não altera muito, se você colocar de 5 em 5, vai demorar 5 vezes mais para criar o bloco e vai executar 5 vezes menos… então não tem porque mudar.

O que pode ser mudado é o count, este é o número de vezes que o 1M vai se repetir, neste caso formando um arquivo de 2048 MB, ou seja 2 GB.

Então se quiser colocar 4 GB, mude para 4096, por exemplo. Mas lembre-se: a memória Swap é mais lenta que a memória RAM, portanto ela é uma memória AUXILIAR, somente para não travar sua máquina.

Então se você estiver usando muita memória Swap, o correto é você ter mais memória RAM contratada no caso de uma VPS, ou se for seu computador, comprar mais memória RAM e colocar os pentes lá na placa mãe, ok ? Entendido ? rs

Mas antes que você me pergunte: Quanto de memória Swap é recomendado ? Bom, recomendação minha que utilizo Linux há muitos anos, eu te diria: 2x sua memória RAM. Isto é praxe “dos antigos” nisto. Tem muita gente dizendo que é bom usar pouco, ou não usar em SSD, mas eu uso assim: 2x a RAM, no meu caso a RAM é 1 GB e o Swap 2 GB.

Bom, voltando… no comando acima teremos o resultado:

2048+0 records in
2048+0 records out
2147483648 bytes (2.1 GB) copied, 10.5356 s, 204 MB/s

Arquivo criado, você pode ver pelo comando:

ls -lah /arquivoswap

Preparando o arquivo de Swap

Agora é simples, aliás tudo é bem simples.

Primeiro, colocamos as permissões 600 nele.

chmod 600 /arquivoswap

Depois, preparamos o arquivo para trabalhar como a memória Swap. Lembra, ele está com “zeros” ?

mkswap /arquivoswap

O resultado será algo parecido com isto

Setting up swapspace version 1, size = 2097148 KiB
no label, UUID=1efd54a8-66a6-4961-ab23-62ff88ff0d10

Ativando o Swap

Já que seu arquivo está pronto, podemos ativar ele no sistema, simples assim, com ele funcionando.

swapon /arquivoswap

E você pode ver seu arquivo já funcionando perfeitamente

                      total      used      free    shared    buffers   cached
Mem:                   1.0G      861M      138M       64M        54M     470M
-/+ buffers/cache:     337M      663M
Swap:                  2.0G        0B      2.0G

Agora, tudo está pronto, mas se você reiniciar seu computador ou a VPS, ele não estará mais em uso.

LEIA  Instalar Java no Linux e configurar Firefox

Para isto, ajustamos no fstab.

Ativando o Swap no Boot do Linux

Para ativar editamos o arquivo fstab que está na pasta etc

nano /etc/fstab

E colocamos no final do arquivo o /arquivoswap none swap sw 0 0, ficando desta forma

# /etc/fstab: static file system information.
#
# Use 'blkid' to print the universally unique identifier for a
# device; this may be used with UUID= as a more robust way to name devices
# that works even if disks are added and removed. See fstab(5).
#
# <file system> <mount point> <type> <options> <dump> <pass>
# / was on /dev/vda1 during installation
UUID=5500b31e-edcc-4fa9-8e28-6ee8672c798a  / ext4 errors=remount-ro 0 1
/dev/sr0        /media/cdrom0    udf,iso9660 user,noauto 0 0
/arquivoswap       none             swap        sw          0 0

E no caso do nano, fechamos ele com CTRL + X, Y e [Enter]

Pronto, você já pode reiniciar sua máquina e estará com o Swap ativado

Abraços.

WalmartBR

Talvez você goste...

Usando o comando PS como um ninja Aprenda a usar o comando PS no terminal do linux para controlar a memória e processamento do seu computador
Instalar o TeamViewer no Ubuntu, Debian, Mint e derivad... Saiba como instalar facilmente o TeamViewer em sistemas Ubuntu, Debian, Mint e todos os derivados
Usando o Gmail para enviar emails da VPS WordPress Saiba configurar um email Gmail na sua VPS para enviar seus formulários de contato e notificações do site/blog
O que é o arquivo PAGEFILE.SYS ? Para que serve aquele arquivo gigante PAGEFILE.SYS? Posso apagá-lo?
Qual a senha de um Linux Live ? As distribuições Linux Live não necessitam de senha para funcionar, mas algumas vezes sua tela pode bloquear. Como tirar esta senha ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.